17 de agosto de 2008

Assaupão

Se o canto é belo, pra gaiola
Se o canto é feio, pro chão
Mais uma pedra, mais uma rola morta
Outro sabiá no assaupão.

Lá vai o homem se exibindo
Seu prêmio um passarinho
Encarcerado num maldito ninho de ferro
Por seu novo "dono" maravilhado com o seu canto lindo.

Passarinho que não canta como antes
Que não voa, que não vive
Passarinho de mentira
Que aos poucos se extingue.

Lá vai o homem retardado
Encantado com o canto
De seus "prêmios" aprisionados
Ele não bate mais as asas, ele não voa, ele não pode mais voar.

Passarinho por que não olhas
Como está preso?
Ao invés de cantar por que não choras?
Passarinho, eu sei, do que você tem tanto medo.

Poesia escrita no ano 2000, isto é, há cerca de oito anos atrás. Está obra está fazendo quase uma década de "vida" e ainda é tão atual. Em agradecimento a Bianca Aguiar, estudiosa da lingua portuguesa, que me ajudou com a grafia da palavra "assaupão" .

6 comentários:

Ninguêm disse...

Eu tinha um passarinho na gaiola qunado pequeno, hoje em dia não teria...
Prefiro colocar ração em uma casinha...

É o sentimento de posse, pessoas inseguras preferem prender aquilo que acham bonito.

No caso do anum azul(acho que é esse o nome), furam os olhos do passarinho para ele cantar... de saudades...

É um tema bem lindo...

Até...

PàjaroEnPecera disse...

“Sejamos realistas, peçamos o impossível”

hasta la victoria,siempre!

Anderson de Oliveira disse...

Hum... Assupião...
Tem uma face, de certa forma, até bucólica... e ao mesmo tempo filosófica, pois reflete nossas próprias vidas, e as gaiolas do cotidiano...
Como poema, magistrais versos modernos, expressivos, puros..
Parabéns!
Abraço!

ChiKatoKiKa disse...

Tu consegues sempre surpreender-me :)

um beijo

(marta entre parênteses) disse...

só deus sabe a dor que eu tenho de ver passarinho dentro de gaiola.
quem tem asa foi feito pra voar..

nem que seja por versos.

lindo blog..adorei seu cantinho.

;*

Então disse...

Adorei ...Parabéns