6 de janeiro de 2008

Os dias não se repetem

Os dias não se repetem
A gente é que não percebe
O quanto a nossa vista
Tornou-se falha
Para enxergar a vida.

O mesmo sol
O mesmo ar
A repetição mecânica
Do ir e voltar

Dia após dia
Levando o corpo cansado
Sem alegria

A gente é que não percebe
O quanto é a gente
Que perde
Seguindo um roteiro
Mais que tradicional
Trabalhando a esmo
E o final
É sempre igual.

Os dias não morrem
Eles estão sempre a nascer
Só são iguais para aqueles
Incapazes de perceber
Que o normal, o igual, o natural é
Como uma parede
Que nos impede
De criar e viver de verdade
A nossa própria singularidade.

Um toque
Um olhar
Um encontro
Mesmo quando
Tudo parece igual
É diferente
É novo
Uma constante criação
Inventa
Experimenta
Cria
A vida e
Com ela
Os dias.

10 comentários:

Donna disse...

Oi José.... obrigada pela sua visita! Q bom q tenha gostado do meu blog.... estou lendo tuas poesias aos poucos mas já gostei muito dessa: "os dias não se repetem"... bem do meu estilo... um abraço

mazinha disse...

Oiee Jose , obrigada plea visita no meu blog viu , adorei a poesia que vc me enviou ... super legal .... adorei essa que vc colocou ai .. achei muito legal .. entra la no meu .. tb tem uma reflexao bem legal ! espero que goste e uma otima semana a voce ...
abraços

Me disse...

bem jose estou fascineda cm este poema. pois ele diz tudo aquilo que as pessoas pensam. Pensam que os dias sao todos iguais, que tudo á sua volta nao muda. e isso é ttlamente incorrecto. POis uma vez li que nos nao tomamamos banho 2 vezes na mesma agua que corre no rio, pois este está sempre a correr para um sitiu incerto. e assim é a nossa vida cheia de incetrezas mas coma cetreza de que um dia acabará.
pois o blog é das 3, mas eu Me so a unica que gosto de escrever aquilo que sinto e que me vai na alma. pois por vezes nao sou capaz de proferir palavras que se façam ouvir, ent escrevo na ansia de algum dia alguem as ler. (nao fazia ideia é que escrevia assim tao bem!)
Sim ando no 1º ano de psicologia, nao sei se realmente é aquilo que me imagino a fazer na vida, mas é algo que me faz entender muita coisa á minha volta. ando em psicologia clinica o que deve ser um pouco diferente da tua. Uma pos-graduaçao já é algo muito avançado, mas gostava de saber qual pensas ser a tua especialidade.
e sim, terie muito gosto em trocar contigo ideias tanto sobre psicologia com poesia.
Os poemas que me enviaste, apesar de teres dito que nao gostei, eu adorei. Entao fico a aguardar por mais.
Relativamente á minha vida amorosa, acho que nesta fase posso pôr, por enquanto, um ponto final. Só nova, nunca tive namorado, simplesmente, paixoes nao correspondidas. Cansei-me de esperar por ser correspondida. E numa aula de ciencias sociais o meu professor disse com toda a cetreza: o amor nao se procura...ele encontra-nos. e se é verdade eu entao vou preferir esperar!
e eu acho que apesar d o amor ser sempre o msm, so é difere na sua maneira de se manifestar, continuo a achar que posso amar outras coisas sem ser o amor carnal. Como por ex, amo a dança. faz-me sentir livre.
tambem ja dei uma vista de olhos n teu outro blog e também podes adicionar o nosso link. eu, principalmente, estou sempre aberta a novos temas para debater, trocar ideias e por aí...
e quando falo, falo por mim e também posso manifestar as opinioes das minahs outras colegas. ou seja sou como eum intermediária.

é um prazer falar contigo
ate breve
ME

José Rodrigues (JR.) disse...

Como conhecimento é sempre bom:

Heráclito, filóso pré-socrático, afirmava que tudo é movimento e que não podemos buscar descobrir as essências das coisas a partir de um único elemento, como faziam filósofos como Tales de Mileto (o principio essencial da constituição do mundo é água),)Anaximandro (o apeiron, substância indeterminada) , Anaximenes (o princípio fundamental era o ar) Assim,citando o exemplo do rio, não podemos nos bainhar duas vezes em suas águas, pois nem as águas são as mesmas e muito menos nós.

Lac disse...

Jr. Gostei do seu blog,pretendo voltar.Obrigada pelas belas palavras sobre minhas poesias.

alexandra disse...

passando aqui para me deliciar com suas palavras...
beijos.

Nathália disse...

De fato: a vida não é um eterno retorno.
Na correria do dia a dia, é assim que querem que a gente pense; com ordens lá de cima, que determinam todos os dias, que iremos aos mesmos lugares, para fazer as mesmas coisas, sem dar nenhum tempo ao ócio, 'essa coisa de vagabundo'.
Talvez se a gente tivesse tempo, a gente pararia pra notar, que o céu não é mesmo o mesmo; as estrelas estão tão diferentes; e que este ou aquele olhar definitavamente não têm nada de parecido.

Mas tempo pra notar tudo isso, só arranja mesmo, aquele que ainda tem um resto de poesia na alma.

Quadra disse...

JR, valeu pelo elogio ao meu blog.
Seus textos são bem interessantes tb. Parabéns, cara!

Me disse...

ola jose! pois foi esse mesmo que sitou as palavras que eu referi! lol
mas é a mais pura das verdades...
bjos!

Linda disse...

Muito bom!! Seria redundância dizer o quão maravilhoso é ler o que escreves?! Rs...
Abraços
Renata Allidia