6 de janeiro de 2008

Poesia de resistência Palestina



“Poesia Palestina de combate” é uma coletânea de poesias de diversos e significativos poetas palestinos que fizeram de sua obra um instrumento de luta e combate contra a destruição e ruína de seu povo. Ainda muito desconhecida de grande parte de nós, ocidentais, a poesia de resistência palestina é um verdadeiro canto em louvor da vida e do direito à diferença, a alteridade. São tantas as intensidades, os afetos, os relatos, bem como, as dores, as lágrimas, os gritos que estas poesias trazem consigo; tantas são as vidas que se foram e nela são retratadas entre versos e palavras; tantas as partidas e lutas deflagradas; tantos os estampidos de tiros e explosões de granadas; tantos são os órfãos, as viúvas e as casas em ruína. Enfim, não se trata apenas de poesias, mas de verdadeiros documentos históricos que retratam, pela lente de poetas/combatentes, a luta de um povo pelo seu direito à sobrevivência.
Achei o livro por acaso numa feira em Niterói – Rio de janeiro – e ao ler as poesias nele contidas não pude deixar de me afetar e, por isso, tomei a liberdade de fazer este relato no Blog e, também, publicar aqui alguns fragmentos de algumas dessas obras.
Poema que um jovem poeta anônimo recitou antes de morrer enforcado, numa manhã de 1936:

Ó noite
Deixa que o prisioneiro termine os seus lamentos
Não creias que é o medo
Que provoca as lágrimas
Se choro é por minha pátria
E pelas crianças que deixarei em casa
Quem lhes dará pão depois de mim
Se, antes de mim, meus dois irmãos
Foram também
Enforcados...


Poema de Fadwa Tugan, uma das mais célebres representantes da poesia palestina e árabe:

Basta-me permanecer em seu regaço

Basta-me morrer em meu país
aí ser enterrada
dissolver-me e aí ser reduzida a nada
ressuscitar erva em sua terra
ressuscitar flor
que uma criança crescida em meu país arrancará
basta-me estar no regaço de minha pátria
estar perto dela como um punhado de poesia
um raminho de grama
uma flor


O livro “Poesia Palestina de Combate” (2ª edição aumentada e revista) que tenho, foi publicado pela Editora Achiamé, Rio de Janeiro, sem data. Aqueles que se interessarem em obter mais informações sobre a obra podem me enviar uma mensagem ou um comentário que eu fornecerei, entre outros, a caixa postal da editora.

3 comentários:

Me disse...

ola!!
bem nos ficamos muito impressionadas com a tua escrita. De longe a nossa escrita é tao boa como a tua. Nós escrevemos por desporto, apesar de escrevermos o que nos vai na alma e no coraçao.
Gostava muito, e se nao for pedir muito, que escrevesses uma poesia para o meu caso. amores que dá tudo errado, nao acerto uma!
Tenho andado trise e decidi por o amor de parte..lol
Tambem vou tentar escrever sobre o amor e depois troco umas ideias ctg xD
Boa escrita e ate uma proxima...
Bjs!

Camilosa disse...

quero informações sobre a obra!!
meu e-mail: camilosa_16@hotmail.com
(sou de São Paulo)
abraço
e viva a resistência do povo palestino!)

Solange Malosto disse...

Parabéns ao tão bem elaborado trabalho." As prodigiosas realizações é que são verdadeiras concretizações de sonhos(Solange Malosto)Gostaria que pesq Solange Malosto através do site www.cidadeartesdomundo.com.br
Minha homenagem*Bj

*****DESAMOR**
Alarmante, tenebroso e temível é a sensação do momento,tal,constrangedoras cenas, mostradas em jornais,revistas,rádio,tv…Deslisamentos, acidentes em nossas estradas,cidades debaixo d’agua,crianças ocupando um espaço, num cenário triste,manifestante na tv.Oh Senhor meu criador, onde estás que não respondes, onde estás?Tu que fizestes do causador de tudo isso, imagem e semelhança tua,Em uma terra cujo objetivo deveria brotar leite e mel,o que vemos Senhor?Destruição,desamor, devastaçao em tua criação,ingratidão,amargura do fel Onde estás Senhor que não respondes, onde estás?Não achas que seria hipocrisia minha,fazer vista grossa,dar uma de desentendida dizendo que 2009, em paz se inicia?Não é isso que meus olhos veem, a população presencia…Teu templo, tua mesquita,teu aconchego,tua igreja de carne,nosso refúgio,alternativa em momentos de desesperança e dor,veja em que o homen, imagem e semelhança tua, transformou… Como falar ou encontrar a paz numa terra cuja criação é tua,em países, onde o pobre é massacrado,injustiçado, e o rico?Cada vez mais rico, pobre cada vez mais pobre e como nãobastasse, meu irmão não dorme,receioso de ver teu teto cair… Não te acanhes Senhor! Que tu manifestes! Clamamos por teu amor…Nossa crianças, futuras gerações,a paz do planeta, depende de te.A terra pede socorro, o planeta está em chamas,é o caos Senhor!( Autora Solange Malosto public/Poesias & Poetas )
* Paz, Peace, Paix
Paz, peace, Paix pra Palestina, cessar fogo.São corpos sem vida, espetáculo chocante!Conquanto incrível, quase difícil compreender!Inimaginável, inaceitável, tais transtornos acontecer…Palestina, sensibilidade, anseios, esperanças,realizações importantes, concretização do ser!Alguém cuja beleza profunda pisou tuas terras,acreditou em te, num futuro promissor, amanhecer…Além horizonte, além céu, além terra, além mar,valor acima de iluzões momentâneas, ocasionais…Sobrelevastes elevações quaisquer que seja o auge,sendo a Palestina responsável por tuas realizações formais…Desatastes as sandálias, afrouxastes a túnica,pálpebras fechadas, recostando evidentemente, a cabeça…Semblante sereno, quem sabe em sono profundo?Saboreastes momentos, que só teu Pai foi testemunha…Amei – te, amo – te, e como te amarei com ternura!Tu que tivesses nos braços, o máximo, o amor maior…Acolhestes a pureza, como a do ar que respiramos,beleza da mãe natureza, paisagem por onde circulamos,e em momentos qundo sentimos, irremediavelmente só…Não a guerra, não a destruição, cessar fogo…Crianças infelizes, vítimas inocentes, terror,estampado em teus rostos, clamor pela paz,paz, peace,paix, que um dia floriu…Palestina, não podes ficar extinta do Planeta,transformar – te em cidade fantasma, inexistir…Tens história, és responsável por descendências futuras,grandes gerações ainda orgulharão de te…Paz, peace, paix pra Palestina!O apelo é dos idosos, jovens,infantil!Nós agentes de Paz da humanidade e do Planeta,Caminhemos juntos, solidários a juventude, idosos, infantís…( Solange Malosto – Poesias & Poetas/ Poesia da Alma Azul Ana GarjanTribuna do Leste Manhuaçú
Solange Malosto/Representante do Artforum Br IN MINAS
Associada ao núcleo de direção dos GRUPOS DE CURADORES DO ARTFORUM MUNDI PLANET&ARTFORUM BR XXl/Direção Ana Felix Garjan /França