31 de dezembro de 2007

Programação

Entre intervalos programados.
Ele deve sorrir.
Mostra que é educado.
E, por que não, feliz.

Na hora programada.
Ele deve acordar.
Nem precisa o despertador.
Já se acostumou.

Na hora programada.
Ele sai e chega em casa.
Liga a TV, vê o jornal.
Vai dormir.

Mas de repente, não dorme.
Desespero: e a programação?
Isso vai atrasar o seu sono.
Atrapalhar a hora de acordar...
Pronto, ele toma um remédio qualquer
E tem até sonhos.

3 comentários:

Carlos Eduardo disse...

Querido José,
O caminho da poesia é um (delicioso) caminho sem volta. Eu te saúdo pela sua poesia, eu te saúdo pelo ano novo, eu te saúdo pelas novas palavras que nunca lhe haverão de faltar. Com carinho e admiração,
abraços poéticos,
Carlos Eduardo

Escritora disse...

Programação. Boas palavras!
Única coisa a falar é , já que não gosto de perfeições, padrões:
Sem programação. Sim diferenças, e sim inovações, criação........
Força Sempre!
Muita luz.

Anônimo disse...

ola meu caro amigo aki é poeta anonimo.........
suas poesias sao profundas ao meu pequeno intender.......ja me sintu um grande admirador de suas obras.......espero ter a oportunidade de lhe enviar uma de minhas criaçoes q sao apenas desabafos por nao ter nimguem por me ouvir nesse mundo louco onde as pessoas só querem saber de si mesmas.....um grande abraço de seu amigo e fãn antonio oliveira soares