1 de janeiro de 2008

Se

E se a voz falha,
As pernas cansam,
As mãos tremem
E depois, e depois?

E se os olhos ardem,
Os lábios secam,
O nariz entope
E depois, e depois?

E se a cabeça lateja,
Os ouvidos doem,
Os pensamentos fogem
E depois, e depois?

E se a saudade é mais forte,
O coração dispara,
O suor encobre o rosto
E depois, e depois?

E se a gente não se vê,
Não se fala,
Não se toca, não se encontra.
E agora, e agora?

3 comentários:

Stellinha disse...

E agora José?
E se eu não estivesse aqui?
Você não teria me encontrado.
E não me encontrando, você não
faria meu dia melhor...e meu dia
não sendo melhor...haveria tristeza, e com a tristeza não
haveria luz...e sem luz, não haveria sombras...e sem sombras
não haveria nada...MUITO OBRIGADA JOSÉ POR ME TRAZER LUZ...
PARABÉNS por seu espaço Maravilhosamente poético...quem dera eu ter o dom da poesia...mas como não sou poeta...vivo a poesia através de palavras escritas com a Alma, assim como as suas.
Abraços carinhosos de gratidão por seu carinho...e espero, sempre ter o privilégio de receber visita ilustre.
Que em sua caminhada nesse novo ciclo, só aja espaço para criar, viver e amar muito.
Tenha um BOM DIA!
Carinhosamente sua mais nova fã
Stellinha :)

P.s Se não se opor colocarei sua página em meus indicados :)

Célia Lima disse...

Olá, poeta! Uma alegria pra mim receber sua visita e conhecer o seu espaço. Parabéns, é um cantinho muito especial, e a sua palavra tem muita vida, força...! Muita inspiração, sempre. Um abraço.

Van disse...

E agora é mergulhar nas tuas linhas.
Invadir cada palavra até o fim.

Experimentar teus versos até viciar.
Um perigo isso! =)))))

Beijucas