5 de janeiro de 2009

Pedalando a vida

Depois de um ano, muitas pedaladas e versos experimentandos, mais uma poesia re-publicada:

Montado em sua magrela
Ele atravessa a rua
Ainda escura
E vai: quer chegar
Mas já está louco para voltar.
Pedala vagaroso
Para que pressa?
Sai cedo para não correr
Pois vai soar a beça
E canta pro dia nascer
Reza pra não morrer
E bebe pra agüentar
A morte e o nascimento
De cada dia e noite de amor
E de tormentos.
Bebe pra se afogar
E pra se esquecer
Que as dores que afundam
Em seu peito fraco
O inundam e o deixam
A mercê no mar
Um barco parado
Apesar das ondas
E da maré
Os remos se soltaram
E ele decidiu
Que não quer mais chegar
E se necessário
Não vai nadar
Afundará com seu barco.
Enquanto isso
Pedala a sua magrela
Para não perder a hora
E chegar atrasado no serviço.
Enquanto isso ele bebe
Por que acha melhor sorrir
Do que chorar.

10 comentários:

Olavo disse...

Belo texto..e com certeza é melhor sorrir do que chorar..
abraços

ChiKatoKiKa disse...

olá amigo!

Ano novo e com ele uma mudança no blog. Achei espetacular!

Espero que tenhas tido uma boa entrada neste novo ano que se vai desenrolar.

Andei a ler as suas poesias "primarias" e é sempre bom reler e recordar. O seu talento é fantastico!
Espero que 2009 te traga ainda masi talento para continuares a escrever as tuas belas poesias.

Um beijo enorme da sua amiga "tuga"
Desejo-te um feliz 2009, com tudo de bom :)

Beijos*

LivroPronto disse...

Olá!

A LivroPronto Editora convida você, autor, para uma conversa sobre a publicação de sua obra.

Escreva para nós!
gabriela@livropronto.com.br

Um grande abraço!

José Rodrigues (JR.) disse...

Olavo,

seja bem-vindo ao experimentando versos. Como cantava o Cartola:

"A sorrir eu prefiro levar a vida, pois chorando eu vi a mocidade perdida."

ou, então, como canta roberta sá :

"Erra quem sonha com paz
mas sem a guerra
o céu existe pois existe a terra
assim também nesta vida real
não há o bem sem o mal
nem amor sem que uma hora
o ódio venha
bendito odio,
odio que mantém a intensidade [do amor
seu ardor, a densidade do amor,
[seu vigor
e a outra face do amor vem a flor"

musica de pedro luis e carlos rennó (samba de amor e ódio).

abraços

José Rodrigues (JR.) disse...

Me,

ano novo e casa nova, quer dizer, template novo. Em janeiro eu sempre me permito ficar algumas horas em frente ao PC pesquisando as ultimas novidades em termos de codigos e dispositivos para colocar no blog.

também espero um ano repleto de mais versos experimentandos. Alias, ando experimentando terminar meu livro em prosa - ainda guardado a sete chaves e no mais absoluto sigilo.

até mais amiga lusitana

José Rodrigues (JR.) disse...

Livro Ponto,

agradeço pelo convite, mas, não tenho interesse em pagar para publicar qualquer de meus livros. Tenho pacência e sei que, aos poucos, eu vou criar as oportunidades certas e meus livrinhos sairão felizes e saltitantes da gaveta.

abraços,

MARCOS LEITE(O POETA DA VIDA) disse...

amigo,a nossa vida é uma pedalada,pois a vezes caimos,mas com força levantamos,e pegamos a bicicleta e continuamos o caminho.

lindas palavras.

tenha uma boa noite.

Olavo disse...

Tem selos para vc lá no blog..
abraços

disse...

Pedalar, sorrir, suar, remar, beber, cantar, rezar, nascer, amar, pulsar, viver. Estar vivo, seguir em frente. Eu sempre opto pelo sorriso, mesmo quando choro.

Adorei teu espaço, virei sempre! Grande abraço!

Lizzie disse...

É muito melhor sorrir que chorar. Mas o que mais me deteve nesse poema foi o quanto algumas pessoas se prendem em "válvulas de escape" que na verdade não existem. Mais afundam o barco do que fazem chegar ao porto.
Zé,
Foi ótimo conversar com você aquele dia, via-msn. Espero que tenhamos a feliz oportunidade de conversar mais vezez. A propósito: você escreve muito³ bem.

Beijos
www.lizziepohlmann.com