2 de dezembro de 2007

O que lhe dói

Ela tenta segurar o vento
Mas nas suas mãos ele não cabe
Sofre tanto, tanto
E ninguém sabe.

E ao sair pelas ruas
Caminha decidida
Vai com seus pensamentos
E coitado de quem mexer.

Ela briga
gesticula com os braços
Xinga
Chama de otário.

E em casa chora
Seu consolo é a novela
Que ela adora e
Também detesta.

5 comentários:

anjinluz disse...

adorei....

eu..

rs

bejoo

Escritora disse...

Oi,
novamente, não sei se você recebeu meu comentário no poema " Com licença", por isso vou estar passando no final o endereço do meu outro blog.
Gosto de poemas, textos digamos detse estilo, triste, dramatico, mas eu escrevo textos assim pq tenho o que falar, pq sei do que eu sinto, e ja sneti, enfim, escrevo o que vem em minha mente e principalmente no meu coração, sem tem uma determinada regra ou padrao, já que nao gosto de perfeiçao. E você escreve muitissimo bem, tenho pouco a falar, mas resumo em :
Uma mente brilhante!
Força sempre!
Muita paz !
o meu outro blog:
cidadedosanjos-eternaescritora.blogspot.com

Ariane disse...

'Ela tenta segurar o vento
Mas nas suas mãos ele não cabe
Sofre tanto, tanto
Eninguém sabe'

Eu achei isto de uma beleza comovente!

Adorei o seu blog: organizado, bonito, de conteúdo excelente! E, como não podia deixar de ser, um palpite: acho que cairia muito bem um fundo claro, tanto para o background da página quanto para o post. É só uma sugestão.
Abraços e muito sucesso para você!

José Rodrigues (JR.) disse...

vindo de você Ariane para mim é uma honra; meus conhecimentos de informática são parcos e o que aprendi nesta última semana para construir este blog foi graças, sobretudo, a sites como o seu.
eu confesso que o fundo preto com as letras brancas era muito cansativo para os meus olhos, mas não quiz descartá-lo de uma vez e preferi experimentar (além dos versos o template)como ficaria e como as pessoas reagiriam.
fico feliz por sua visita e até aos próximas visitas - as minhas em seu blog e as suas, se possível, no meu.

José Rodrigues (JR.) disse...

"escritora" fico feliz por sua visita no experimentando versos e por seu comentário. também não penso em padrões quando escrevo poesias, muito menos em encaixar as obras que eu faço dentro de escolas ou paradigmas determinados. o que me interesse é escrever, porque´me dar prazer, e, também, escrever para provocar, desestabiza, enfim, mexer com as pessoas.
em relação ao "mente brilhante" o qual você carinhosamente me dedicou, eu estou muitos anos luz de ser brilhante... mas agradeço ao elogio.