28 de fevereiro de 2010

Carnaval

Hoje não quero mais lembrar

Do seu sorriso, do seu olhar

Se eu pudesse apenas esquecer

De tudo o que senti por você.


Era dia de carnaval e muita folia

E você era a mais bela das colombinas

Ia sambando, pulando, a frente do bloco

Eu era o pierrot que te seguia com os olhos.


Meu coração palpitava no ritmo da bateria

Na cadência contagiante da linda marchinha

Eu ensaiava o que dizer em meus pensamentos

Enquanto, assustado, observava seus movimentos.


Até que de repente, você olhou pra mim

Eu tinha perdido a coragem, mas mesmo assim

Deixei que seus belos olhos me guiassem

E que seu corpo, seu samba, me levassem.


E foram tantos blocos, tantos beijos e abraços

Que ainda hoje, depois anos, tenho guardado

O gosto daqueles beijos, o calor daqueles braços

E também a solidão de nosso adeus forçado.


E a quarta feira nasceu cinzenta e nublada

Levando pra longe minha colombina apaixonada

Até hoje me pergunto por onde andará

Aquela linda colombina que me fez sorrir e chorar.

Um comentário:

Thayana disse...

Encontros e desencontros de Carnaval, lindo José.
abraços.